Mesa Lousa

Fonte: Wiki Escola de Ativismo
Ir para: navegação, pesquisa
Sessão

MesaLousaMesa como facilitação de aprendizagem

Grupo de Participantes

10 a 20 pessoas, dependendo do tamanho da mesalousa.

Objetivo

Construir um dispositivo ou uma ferramenta que facilite o diálogo para a construção de conhecimentos coletivamente.

Conteúdos

Construção da mesalousamesa; produção de sentidos; partilha de saberes; construção de conhecimento coletivo; expressão; arte.

Como fazer

↦ Antes de explicar como fazer ou como realizar a atividade faz-se necessário uma pequena contextualização: A mesalousamesa é uma ferramenta que precisa de um conteúdo, ou seja, ela é um meio para que determinados conteúdos sejam trabalhados. Ela surgiu no contexto das ocupações das escolas como um instrumento de partilha horizontal, ela simboliza uma quebra do símbolo da lousa, algo que permanece à frente e no alto, acessível somente ao professor, que conduz a ação enquanto a maioria das pessoas permanece sentada ouvindo passivamente. Quando a lousa se transforma em mesa, ela se transforma em uma base que garante sustentação para uma partilha, onde todis se colocam em igual condição. Um espaço que cabe a todis, onde todis podem ao mesmo tempo escrever, desenhar e reagir à seu modo. Esta metodologia foi criada pelo “Coletivo Contrafilé” (ver referências), e ganhou novos contornos aqui na Escola de Ativismo.

Agora sim! E como é que eu faço isso?

↦ É preciso visitar o local da atividade com antecedência e verificar se há uma mesa ou uma lousa onde todis participantes consigam se acomodar. Se for uma mesa será necessário forrá-la com um papel branco ou pardo, bem resistente, se for uma lousa é preciso verificar se ela é de quadro branco ou giz de lousa, neste caso o uso de materiais para registro fica restrito, podendo utilizar somente caneta para quadro branco ou giz. No caso de se ter uma mesa forrada com papel, é preciso separar materiais diversos para escrita, desenho e pintura como canetas coloridas, giz de cera, lápis de cor, revistas, tesoura, cola. E preparar um ambiente agradável, com frases mencionadas durante o dia, ou com a temática de mobilização do grupo, objetos que simbolizam determinada ação. Colocar a MesaLousaMesa no centro da sala ou pátio. Duração: 01h30.

↦ Quando o grupo chegar, pedir que se acomodem onde quiserem no entorno da mesalousamesa e dizer que este é um dispositivo de partilha, de ação e reação, em que todis poderão utilizá-lo da maneira que quiserem na tentativa de registrar os entendimentos, as dúvidas, as dificuldades, a potências das idéias ali partilhadas. Dada esta informação deixar que as pessoas se sintam à vontade para sentar e pegar o material que quiser. Duração: 05 min

↦ É importante que o facilitador/educador tenha algumas tarjetas, imagens e utilize também o seu espaço para realizar algumas provocações visuais sobre os conteúdos que está trabalhando. Na atividade que realizamos, a temática central era a “Educação Popular” então fomos mesclando algumas histórias do Paulo Freire com trechos de livros e alguns conceitos base, mas pode ser feito com uma pergunta chave, com uma questão problemática para o grupo, como uma atividade de abertura de determinado tema. O importante é que seja feita com uma conversa, o facilitador/educador realiza perguntas, provoca o grupo a movimentar o pensamento e expor no espaço da mesa que ocupa, isto é o que estamos chamando de reação. Duração: até 01h00

↦ Quando a temática estiver esgotada, o facilitador/educador pergunta ao grupo se quer partilhar os registros que fizeram. Cada um pode contar um pouco o que pensou, o que criou, como realizou a sua intervenção na mesalousamesa, durante as falas. Duração: até 30 min em média, mas pode durar muito mais se o grupo topar conversar sobre seus registros!

↦ A mesalousamesa poderá ficar exposta em algum espaço para que todis possam ler e observar com calma o que o grupo realizou, serve também como um material de registro dos aprendizados do grupo em relação a determinado tema ou conteúdo.

Referências

https://pt-br.facebook.com/grupocontrafile
FREIRE. Paulo: Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Editora Vozes, 2015.

Tempo

Total de 03h05 sendo 01h30 para preparação e 01h35 para a atividade.

Materiais

Lousa, mesa, giz de cera, giz de lousa, lápis de cor, canetas coloridas diversas, tintas e pincéis, papel branco ou pardo, fita adesiva, tesoura, revistas.

Dicas
TAGS